(11) 3652-6160 sac@dgtadm.com.br

6 dicas para economizar energia no condomínio

Gostou? compartilhe!

6 dicas para economizar energia no condomínio

Solução essencial ao pensar no coletivo e em menores custos individuais, economizar energia no condomínio, hoje, vai muito além das boas práticas dentro do próprio apartamento. Sistemas de aquecimento, saunas e piscinas, chuveiros, lâmpadas, elevadores e outros tantos recursos fazem crescer os gastos diários com energia elétrica. Mas a boa notícia é que, com um pouco de atenção e conscientização, é possível economizar.

Veja abaixo as 6 principais dicas para economizar energia no condomínio e não se esqueça de compartilhar as suas experiências e opiniões com a gente!

1- Troca de lâmpadas

Quando falamos em economia de energia, trocar as lâmpadas incandescentes – que nem são mais vendidas no mercado – pelas fluorescentes já é capaz de garantir um bom resultado. Melhor ainda quando essa substituição envolver modelos LED, que apesar de um pouco mais caros no início, economizam ao longo do uso, têm maior durabilidade e materiais não poluentes.

As lâmpadas de LED têm evoluído bastante e, ao contrário do que se pensa, é possível pedir modelos de luz morna e não apenas os de luz branca. Uma dica é analisar e definir a melhor luminosidade para cada ambiente do condomínio, mas não deixando de pensar na economia a longo prazo.

2- Instalação de sensores

Outra forma de economizar energia no condomínio é instalar mais sensores de presença. Com eles, as luzes permanecem acesas somente quando de fato houver pessoas no ambiente, que pode ser o hall do prédio, o corredor, as escadas ou outros, evitando, assim, o desperdício.

Igualmente importante é regular o temporizador da forma correta, evitando que o morador acione a mesma lâmpada mais de uma vez sem que haja necessidade, caso ela se apague rápido demais. Cinco, 10 ou 15 minutos, o tempo vai depender da necessidade e uso médio da luz em cada local.

3- Priorizar a iluminação natural

Uma atitude simples, mas nem sempre seguida pelos moradores é priorizar a iluminação natural. Isso significa que, tanto dentro de casa quanto nas áreas comuns do condomínio, é possível aproveitar a luz do dia o máximo possível como uma maneira de economizar acionando a iluminação artificial desnecessariamente.

Abrir as janelas nos salões de jogos, de festas e deixar a luz de fora entrar no hall são bons exemplos de economia. Outras dicas a serem seguidas nesse caso incluem a limpeza adequada de luminárias, lâmpadas e janelas, para não reduzir a iluminação, e o uso de cores claras nas paredes e teto, que também fazem a luz refletir melhor, ao contrário das cores escuras, que exigem mais claridade de dia e lâmpadas mais potentes, que consomem mais energia, à noite.

4- Programas de incentivo

Em alguns condomínios, uma das técnicas utilizadas é a criação de programas de incentivo e até mesmo a oferta de uma recompensa ou desconto para os blocos que conseguirem economizar, por exemplo, x% durante meses determinados. A ideia é que sempre sejam divulgados os resultados e que, ao longo do tempo, as ações se tornem mais naturais.

Divulgar os resultados com frequência também é uma boa escolha, mostrando a importância da economia e da conscientização, essencial tanto para funcionários quanto para moradores.

5- Um elevador por vez!

Se só utilizamos um elevador por vez, por que costumamos chamar dois ao mesmo tempo? Está aí um hábito a ser melhorado, uma vez que os elevadores são responsáveis por grande parte do consumo de energia em prédios. É por isso que alguns deles optam, inclusive, por desligar um dos elevadores em horários de menor movimento, como nas madrugadas.

E quem nunca presenciou aquele momento em que as crianças apertam todos os botões do elevador? A “brincadeira” acaba exigindo maior energia e tornando o gasto totalmente desnecessário. Neste caso, também vale a orientação aos pequenos.

6- Boas maneiras de cada condômino

Por último, mas não menos importante, as boas maneiras de cada condômino não podem ser descartadas. Atitudes aparentemente simples, como apagar as luzes ao sair do cômodo, manter aparelhos desligados quando não utilizados, diminuir o tempo de banho, juntar mais roupas ou louça para acionar a máquina e evitar o desperdício, no geral, sem dúvidas farão uma grande diferença na economia de energia.

Além dessas dicas, ainda há outras curiosidades, como a economia de água estar relacionada à economia de energia, uma vez que a bomba que a leva aos apartamentos trabalha menos e, assim, diminui os gastos. A energia solar como uma alternativa em condomínios para aquecer os chuveiros do prédio é mais um exemplo curioso de economia.

Quer ajuda para entender o que é possível fazer no seu condomínio para economizar energia e outros custos? Conte com a DGT! Oferecemos soluções diversas e personalizadas na gestão de cada condomínio. Entre em contato!



Gostou? compartilhe!